Ranking - Regulamento
SENAR-RS realizou missão de melhoramento genético ovino no Uruguai


Nos dias 19 e 20 de novembro de 2018, o SENAR-RS enviou uma comitiva brasileira, composta por Engenheiros Agrônomos, Médicos Veterinários, Zootecnistas, Técnicos da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (ARCO) e ovinocultores das raças Merino Australiano, Ideal, Corriedale, Texel, Border Leicester e ovinos Naturalmente Coloridos, ao Uruguai para participarem do “IV Seminario de Mejoramiento Genético en Ovinos”. Evento, organizado pelo Secretariado Uruguayo de la Lana (SUL) e Instituto de Investigación Agropecuaria (INIA) e que ocorre de 10 em 10 anos. Na ampla programação do evento foram abordados temas de mercado (atual e prospecções), ganhos econômicos devidos às mudanças genéticas, desenhos de cruzamentos e utilização de tais no incremento na produção ovina, seleção para fertilidade e resistência às parasitoses gastrointestinais e a utilização de ferramentas moleculares e de eficiência alimentar.

 


Essa missão realizada pelo SENAR-RS, teve o intuito de capacitar técnicos e criadores comprometidos com a ovinocultura gaúcha, objetivando o entendimento e aplicação de estratégias para aumentar a produtividade ovina via melhoramento genético.

 


No primeiro dia de evento foram apresentados os avanços da ovinocultura uruguaia devido a melhora genética obtida nesses últimos 10 anos, refletindo diretamente no aumento da produtividade e da qualidade dos produtos ovinos.
O segundo dia de evento teve uma programação recheada de temas de alto nível tecnológico e com relatos de experiência de quem aplica a tecnologia do melhoramento genético no campo. A utilização de cruzamentos como via de aumentar a produtividade ovina foi um dos temas explorados, em qual foram mostrados resultados dos benefícios da heterose, proporcionando incrementos na prolificidade e velocidade de crescimento.

 


Outra tecnologia de grande impacto positivo na ovinocultura é a resistência aos parasitas gastrointestinais, do ponto de vista da resistência e resiliência. Em que foram mostrados os progressos genéticos para as raças Merino Australiano e Corriedale, que atualmente já possuem reprodutores resistentes e altamente produtivos disponíveis no mercado.
Ao fim da manhã do segundo dia ocorreu uma antecipação da programação da tarde, na qual foi apresentada a experiência comercial do melhoramento genético da raça Corriedale, com melhoras genéticas para peso de velo (sujo e limpo), peso corporal aos 12 meses de idade, peso ao desmame (direto e materno), peso a recria, diâmetro médio da fibra de lã, grau de pigmentação e grau de lã na cara.

 


Na última parte do evento, a tarde foi repleta de bons relatos e o uso das modernas ferramentas genéticas aplicadas e a serem aplicadas no melhoramento genético ovino.
A raça Texel foi bem representada por um relato de experiência exitosa, sendo uma das mais recentes raças nas avaliações genéticas populacionais e ao mesmo tempo a mais velha entre as raças de corte. Assim, o que vem ocorrendo com a genética Texel no Uruguai, são o incremento no peso ao nascimento, peso ao desmame, peso a recria, área de olho de lombo e espessura de gordura.

 


Finalizando a temática de experiências exitosas, o tema de cruzamentos maternais e terminais e a resistência a parasitas gastrointestinais teve representatividade nos grandes resultados econômicos apresentados.

 


Fechando com chave de ouro o evento e a missão exitosa do SENAR-RS, foram apresentas o uso da genômica como via de melhorar a precisão das avaliações genéticas, principalmente, para características limitadas ao sexo ou que necessita o abate dos animais e, o anseio da inclusão da eficiência alimentar nas avaliações genéticas.

 


Não há como desatrelar o aumento da eficiência produtiva do melhoramento genético, a exemplo disso o Uruguai que hoje é uma das maiores potências mundiais na produção ovina. Sabendo disso, o SENAR-RS investiu na capacitação técnica de seus representantes em tal missão, pois o melhoramento genético ovino é aplicável a qualquer condição produtiva, visto que existem inúmeras maneiras de conduzi-lo, algumas que proporcionam um maior progresso genético que outras.
Os próximos passos pós seminário deve ser o compartilhamento do conhecimento adquirido, mediante palestras, cursos e oficinas. Sendo isso possível graças ao empenho do SENAR-RS em identificar essa necessidade da ovinocultura do Rio Grande do Sul e a ABCCorriedale em ter organizado essa missão.

 

 

Voltar para notícias

Publicidade








Associação Brasileira de Criadores de Corriedale, Todos os direitos reservados. © Copyright 2010
Fone (55) 3232 58 55 - Rua Coronel Sezefredo, 287 - São Gabriel - RS - CEP 97300-000 | Desenvolvido por Fernovi